CIRURGIA MINIMAMENTE INVASIVA

Esquema mostrando em azul o tamanho das incisões tradicionais e em vermelho o tamanho das mini incisões. As variações de acesso anterior e posterior ao fêmur também são demonstradas. O paciente é posicionado de lado na mesa cirúrgica , com os quadris e joelhos dobrados.
 

É um método novo que representou um grande avanço na cirurgia do quadril, pois permitiu a colocação de próteses através de mini incisões de 5 a 10 cm, contra os 20 cm do acesso tradicional. Isso sem falar nos danos aos tecidos vizinhos, que é bem menor. O paciente recupera-se mais rapidamente, tendo alta mais cedo do hospital. Quase não sangra e muitas vezes não há necessidade de transfusão. A dor no pós-operatório é bem menor e o tempo de uso de medicamentos também. Sua única limitação é que, por ser uma técnica nova, requer maior experiência por parte do cirurgião, que deve realizar um treinamento especial.

 
     
  Web Design Labore Comunicação