ARTRITE REUMATÓIDE

DEFINIÇÃO

PREVENÇÃO

DIAGNÓSTICO

TRATAMENTO

 

DEFINIÇÃO

A artrite reumatóide é uma doença inflamatória que pode acometer tanto as articulações quanto os demais tecidos do corpo humano. A doença pode afetar as mãos, os pés, os tornozelos, os joelhos, os ombros e os próprios quadris. Portadores de artrite reumatóide, além de dor, calor e rigidez nas juntas, costumam queixar-se também de cansaço físico.

É uma doença auto-imune, ou seja, o organismo produz uma reação de defesa imunológica contra tecidos e células sadios dele próprio, como se estivesse se defendendo de uma agressão estranha, do tipo vírus, bactéria ou um corpo estranho. Na verdade, é uma falha grosseira do mecanismo imunológico, que ataca as células saudáveis do próprio corpo. Nas articulações a artrite reumatóide se manifesta através de uma reação inflamatória causada pela deposição na membrana sinovial de restos desse processo de defesa, também chamado de complexo imune, que nada mais é do que a junção ao anticorpo do tecido erroneamente reconhecido como antígeno ou agressor. A presença desse complexo imune estimula as células da membrana a produzir fluido sinovial em maior quantidade. A agressão continuada sofrida por essa membrana faz com que ela perca sua elasticidade natural, tornando-se mais rígida e espessa e acabando por provocar um processo inflamatório crônico, chamado de sinovite, que além da dor e aumento de temperatura local, acaba por comprometer a própria mobilidade da articulação. Depois de vários meses de sinovite a membrana toma uma nova forma, chamada de Pannus.

Estas substâncias inflamatórias e as células de defesa presentes no fluido sinovial também podem agredir a cartilagem articular que reveste a extremidade dos ossos que formam a junta, ocasionando um grande processo destrutivo.

Em muitos casos a doença ataca simetricamente, isto é, ao mesmo tempo, ambos os quadris, sendo comum também o comprometimento de outras juntas do corpo.

PREVENÇÃO

  • A sua causa ainda permanece desconhecida.
  • As mulheres são mais afetadas do que os homens. Mais de 70% dos pacientes com artrite reumatóide são mulheres e o primeiro surto da doença aparece, geralmente, entre os 25 e 50 anos.
  • Existem fatores genéticos e hereditários envolvidos. Pode afetar pessoas de uma mesma família, mesmo que em gerações distantes.
  • Infecções por vírus e bactérias podem precipitar um surto da doença.
  • Fatores emocionais e ambientais, como divórcio, perda do emprego, morte de pessoa querida, estresse, podem estar relacionados ao desencadear da doença (The Arthritis Bible, Arthritis Foundation,1999).
  • O fumo, o álcool e as drogas também podem alterar o sistema imunológico e desencadear crises.

DIAGNÓSTICO

Principais Sinais e Sintomas

  • Dor e diminuição dos movimentos das juntas afetadas.
  • A dor geralmente é simétrica (lado direito e lado esquerdo ao mesmo tempo). Localizada na virilha e irradiada para a coxa, o joelho ou a região lombar.
  • Rigidez das juntas ao acordar pela manhã ou ao permanecer por algumas horas parado(a).
  • Edema (inchaço) em outra juntas.
  • Fraqueza ou fadiga.
  • Anemia, perda de peso, queda do estado geral, febre baixa.
  • Acúmulo de líquido nos tornozelos (inchaço nas pernas).

Exames Laboratoriais e de Imagem

Não existe um exame laboratorial isolado, porém o somatório dos resultados de vários testes pode ajudar o médico a firmar o diagnóstico.

Principais Testes

  • Hemograma completo, que pode evidenciar anemia.
  • VHS - velocidade de sedimentação das hemácias - pode estar aumentada nas inflamações. Cerca de 40% dos pacientes podem ter esse valor normal.
  • PCR - Proteína C Reativa indica inflamação. Está sempre muito aumentada na artrite reumatóide.
  • Fator Reumatóide - É um anticorpo que aparece em 70 a 80% dos pacientes com artrite reumatóide. Quando presente, a artrite é chamada de soro positiva. Em 20% dos casos a artrite é considerada soro negativa, pois não se encontra esse fator no sangue.
  • Radiografias da bacia mostram alterações na estrutura dos ossos e da articulação do quadril.
  • Ressonância Magnética - Pode apresentar destruição da cartilagem, espessamento da membrana sinovial e aumento de líquido no interior da articulação.

TRATAMENTO

Os tratamentos costumam utilizar medicamentos que objetivam diminuir as reações imunológicas e inflamatórias do organismo e, conseqüentemente, dos próprios sintomas clínicos da doença. A especialidade médica que habitualmente realiza o acompanhamento clínico dos pacientes com artrite reumatóide do quadril é, como o próprio nome diz, a reumatologia. O reumatologista e o cirurgião do quadril costumam atuar em conjunto, pois quando não há mais recursos terapêuticos clínicos para aliviar as dores ou devolver a mobilidade perdida, caberá ao cirurgião a escolha da melhor técnica operatória para cada caso. Ele poderá indicar um procedimento artroscópico para remover a membrana sinovial doente, cirurgia chamada de sinovectomia. É uma técnica relativamente recente que tem conseguido aliviar os sintomas em pacientes que ainda não apresentam destruição da cartilagem articular. Por exigir a utilização de sofisticados instrumentos cirúrgicos e um rigoroso treinamento em centros especializados, só deve ser praticada por especialista do quadril familiarizado com a técnica. Quando já existe comprometimento da cartilagem articular, independente da idade do paciente, está indicada a substituição da junta doente por uma prótese, que irá propiciar o alívio da dor, a recuperação dos movimentos e uma melhoria na qualidade de vida do paciente.

Para saber tudo sobre próteses, basta clicar nos links sobre este tema: pessoas até 50 anos, pessoas de 50 até 70 anos, pessoas acima de 70 anos, próteses cimentadas, próteses não cimentadas e substituição de próteses.

 
     
  Web Design Labore Comunicação